2e0624a48781fc8418d245f647189055-breadcr
MIRENA

CESAMM │ Centro Especializado em Saúde da Mulher

MIRENA.jpg

Mirena
Sistema intrauterino de levonorgestrel (MIRENA)

O MIRENA possui um reservatório com 52 mg de levonorgestrel, mede 32 mm de comprimento e libera 20 µg de levonorgestrel por dia. Através da membrana de controle, o sistema consegue liberar o levonorgestrel, que em 15 minutos após a inserção já se encontra circulante no plasma. A taxa de liberação de 20 µg/dia cai ao longo do uso, estabilizando-se em torno de 12 a 14 µg/dia e chega finalmente a 11 µg/ dia ao final de seis anos, que é o tempo preconizado de uso.

Os principais mecanismos de ação que colaboraram para se obter um contraceptivo com menos efeitos colaterais e com alta eficácia são os seguintes:

• muco cervical espesso e hostil à penetração do espermatozoide, inibindo a sua motilidade no colo, no endométrio e nas tubas uterinas, prevenindo a fertilização

• alta concentração de levonorgestrel no endométrio, impedindo a resposta ao estradiol circulante

• forte efeito anti-proliferativo no endométrio

• inibição da atividade mitótica do endométrio

• mantém a produção estrogênica, o que possibilita uma boa lubrificação vaginal

Como resultado dessas várias ações contraceptivas, a taxa de eficácia do MIRENA é muito alta, possui ótima eficácia contraceptiva.

A sua taxa de satisfação mostrou índices superiores a 75% no primeiro ano.